HUMANAMENTE

Coleciono defeitos, quase sempre, involuntariamente.

Uma parte do acervo, dou conta sozinho.

O restante, com a ajuda das paredes – com olhos e ouvidos – das casas dos vizinhos, vou catalogando.

Tenho defeito que nem é defeito, dependendo do contexto.

Tenho defeito que enxergo o tempo todo ali, mas nunca aqui.

Tenho defeito que não encontro de nenhum jeito, mas tudo mundo encontra e ninguém me conta, nem as paredes.

Desses, tenho medo.

É estranho isso, poder passar uma existência e não ser apresentado ao seu maior inimigo, mesmo morando na mesma casa.

#ChicoScarpini